A Menina de Vidro, de Jodi Picoult.

“Você era Willow, pura e simplesmente. Não havia ninguém no mundo como você. Eu soube no primeiro momento em que a peguei no colo, toda enrolada em espuma para que você não se machucasse em meus braços: sua alma era mais forte que seu corpo e, apesar do que os médicos me repetiram mais de uma vez, sempre acreditei que esse era o motivo das suas fraturas. Que esqueleto ordinário aguentaria um coração do tamanho do mundo?”.

A Menina de Vidro é o segundo livro que leio da autora Jodi Picoult, com a mesma escrita incrível, com o enredo envolvente e personagens “pessoas como nós”. Poderia encher essa análise com elogios voltados ao incrível talento que essa mulher tem com as palavras, de como ela consegue tocar e quebrar seu coração com cenas lindas e emocionantes. Este livro me lembrou muito A Guardiã da Minha Irmã (que pretendo fazer uma resenha num futuro próximo), onde todo drama familiar é voltado a filha que possui uma doença que pode lhe custar a vida e suga todas as forças que uma família deve ter em todos os momentos que houver uma queda ou uma recaída.Leia mais »

Anúncios